sábado, 10 de maio de 2014

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Curio


Como ler uma caixa taxonómicaCurió
Macho
Macho
Nome binomial
Oryzoborus angolensis
Linnaeus, 1766

curió (Oryzoborus angolensis) é uma ave passeriforme da família Emberizidae, nativa do Brasil e muito apreciada pelo seu canto. Mede cerca de 15 cm, sendo que o macho é preto na parte superior do corpo e castanho-avermelhado na parte inferior, sendo a parte interna das asas na cor branca. Criado em cativeiro, presta-se a torneios de canto.
Os seus habitats naturais são: florestas subtropicais ou tropicais húmidas de baixa altitude e florestas secundárias altamente degradadas.

[editar]No Brasil

Constitui-se na espécie mais apreendida no combate ao tráfico de animais silvestres no país. Graças às suas qualidades canoras é também a espécie que mais possui criadores registrados no chamado Sispass - cadastro junto ao IBAMA, órgão responsável pela fiscalização e conservação da fauna.1
Iniciado em 2001 o registro dos animais criados por particulares tinha, em 2005, 1,3 milhão de aves registadas, das quais 245.085 eram de curiós.1

Referências

  1. ↑ a b Antonio Francisco Ferreira Neto (30 de setembro de 2005). Desenvolvimento de um sistema de identificação do Curió (Oryzoborus angolensis) através de microssatélites de DNA. Pesquisa Inovativa na Pequena e Micro Empresa - PIPE. Página visitada em setembro de 2011.

Canário da Terra


canário-da-terra-verdadeiro ou canário-da-terra (Sicalis flaveola) é uma espécie deave da família Emberizidae. Originário da América do Sul, é encontrado na Colombia,EquadorVenezuelaPeruBolíviaBrasilParaguaiUruguai e Argentina. No Brasil, podemos encontra-lo no MaranhãoMinas GeraisPiauíCearáPernambucoBahia,Espírito SantoSanta CatarinaRio de JaneiroRio Grande do SulSão PauloParaná,Mato GrossoMato Grosso do Sul e Goiás.
Os filhotes são da cor cinzenta, independente do sexo. Quando adultos, os machos têm cor predominante amarela, principalmente na cabeça com tons avermelhados, e as fêmeas não mudam muito, ficam com um tom cinzento amarelado. Os machos podem brigar entre si por fêmeas – que normalmente atiçam as brigas – até à fuga de um dos canários (muitos brigam até a morte, de onde adveem as rinhas com estas aves, muitas vezes em viveiros bem organizados, mas que por algum descuido, ocorrem naturalmente estas rinhas, geralmente ficando as duas aves praticamente sem penas na cabeça, quando há tempo de salva-las). A alimentação é tipicamente constituída de sementes de gramíneas nativas em geral (nunca será visto comendo pão ou restos de comida como um pardal)ou alpiste e painço em cativeiro. Alcançam um tamanho de 13,5 centímetros.

Canário Macho
O canário-da-terra (canário-terra) faz ninho, na natureza, em cavidades, chegando a utilizar frequentemente, ninhos abandonados de joão-de-barro, assim como crânios de gado dispostos para tal em estacas, ou porongos pendurados com entrada adequada ao seu tamanho. Há referências a ninhos colocados no telhado das casas. São muito agressivos na defesa do ninho, chegando a atacar aves maiores que dele se aproximem. Em cativeiro, muitas vezes reproduzem-se em gaiolas de 70x40x30 cm, com uma caixa para ninho com 15 cm de lado e que tenha um furo para entrada. Normalmente, podem ser utilizados sacos de estopa cortados e desfiados para que a fêmea confeccione o ninho.
Por ser um pássaro nativo do Brasil, é necessária uma licença do IBAMA para a criação em cativeiro.

Casal



Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Can%C3%A1rio-da-terra-verdadeiro

Tenébrio


bicho-da-farinha ou tenébrio é o nome dado às larvas do Tenebrio molitor, umbesouro do género Tenebrio, representante típico da família dos tenebrionídeos, de cor preta ou pardo-escura, que constitui pragas bastante vulgares. Como todos os insectosholometabólicos, atravessa quatro estágios na vida: ovolarvapupa, e adulto. As larvas medem tipicamente cerca de 2,5 cm e os adultos têm entre 1,25 e 1,8 cm de comprimento.

[editar]Ciclo reprodutivo

O tenébrio, como todos os besouros, submete-se a uma metamorfose completa, passando pelos estágios de ovo, larva, pupa e besouro adulto.
O ciclo reprodutivo se completa em 6 meses, estando, no entanto, muito sujeito às condições de temperatura, umidade, nutrição e iluminação. São de hábitos noturnos, não suportando a luz solar. Baixas temperaturas poderão retardar ou até mesmo impedir seu desenvolvimento. A temperatura ideal para o seu desenvolvimento fica entre 28 e 32 °C.
Os besouros apresentam dimorfismo sexual evidente, estão maduros sexualmente no décimo dia e vivem por cerca de 60 dias.
Uma fêmea pode efetuar a postura de cerca de 300 ovos que aderem às partículas do substrato e eclodem após 15 dias.
A pele da larva, denominada exoesqueleto, é quitinosa e não acompanha o desenvolvimento da larva, sendo substituída por até quinze vezes antes que essa se torne uma pupa, em um processo chamado ecdise. A duração da fase larvar é de aproximadamente 90 dias e uma larva pode atingir 3 cm de comprimento e 1 g de peso.
No final do seu desenvolvimento, sobem para a superfície do substrato e iniciam a fase de transformação, quando são chamadas de pupas ou crisálidas. As pupas não se alimentam e movimentam-se apenas por contorções dorso-ventrais quando estimuladas pelo toque.
Permanecem nesse estágio por 15 dias, quando viram besouros adultos..
Bichos-da-farinha

[editar]Utilização como alimento para animais de estimação e isca

Os bichos-da-farinha são comumente usados para alimentar répteis e aves de estimação. São também muito usados para isco de pesca.
Podem ser adquiridos em lojas de animais ou criados em casa.